Col·lectiu Emma - Explaining Catalonia

Sunday, 17 september 2017 | EDITORIAL

Português

A última oportunidade de Espanha na Catalunha


Quaisquer dúvidas sobre a determinação dos catalães em ter uma palavra a dizer sobre o seu futuro coletivo deveriam ter-se dissipado com a manifestação de 11 de setembro em Barcelona. Ano após ano, centenas de milhares de pessoas têm saído à rua para reivindicar o direito de decidir o estatuto político da sua Nação, e os representantes por elas eleitos têm trabalhado para lhes facultar essa oportunidade. Com esse propósito, foi convocado para o dia 1 de outubro um referendo sobre a independência. Hoje tudo indica que a votação terá lugar, mesmo enfrentando a oposição da Espanha e apesar de todos os esforços para a impedir.
 
Idealmente, deveria ser uma votação oficialmente promulgada e legalmente vinculativa, como as que tiveram lugar no Québec e na Escócia, e muitos observadores internacionais ainda não conseguem perceber a postura intransigente do governo espanhol. Autorizar o referendo, envolver-se na sua preparação e fazer campanha contra a independência seria a atuação mais razoável, e provavelmente a mais produtiva. O presidente catalão Puigdemont tem declarado repetidamente a predisposição do seu governo para chegar a um entendimento sobre os termos que tornassem isso possível, incluindo uma data alternativa e uma questão acordada. No entanto, ainda há espaço de manobra. Uma mudança de estratégia por parte de Madrid, como sugerido por terceiros, não é provável com o processo já tão adiantado; no entanto ainda poderia ser a opção menos onerosa, quanto mais não fosse porque as autoridades estatais terão muita dificuldade em gorar o plano catalão sem recorrer a métodos coercivos que se virariam contra elas próprias.
 
A maioria dos catalães espera que, apesar de todas as dificuldades previsíveis, o 1º de outubro seja um dia de votação pacífico, seja porque o governo espanhol tenha levantado a sua oposição ou porque tenha optado por ignorá-la. Uma coisa é certa: vai-se sair à rua para votar em massa. Se se vai ou não conseguir introduzir o voto nas urnas dependerá de até onde o governo espanhol esteja decidido a ir para deter o processo. O jogo sujo não estará fora que questão mas, a longo prazo, não seria do interesse do Estado ir por esse caminho. As medidas de força, mesmo sob a capa da legalidade, poderiam perturbar a votação, mas também poderiam dar aos catalães um bom motivo para escolher a via mais rápida para a independência. Em qualquer dos casos, ficam a ganhar: se efetuar um referendo é um ato de democracia, fazê-lo contra a vontade do Estado é um ato de soberania.
 
Seja qual for o resultado, os termos do debate político em Espanha ficarão definidos pelos acontecimentos do dia 1 de outubro. Pelo simples facto de ir às urnas, os catalães terão afirmado os seus direitos coletivos como povo. Ao negar esses direitos, o governo espanhol pode colocar-se numa posição insustentável: não está disposto a um entendimento mas é inapto para impor a força a longo prazo. Ironicamente, ao tentar impedir a democracia pode tornar a soberania numa opção real.
 
(Tradução de Umbelina Sousa a partir do original inglês)


Very bad Bad Good Very good Excellent (1 vòte)
carregant Loading




Lectures 882 visits   Send post Send


Col·lectiu Emma - Explaining Catalonia

Col·lectiu Emma is a network of Catalans and non-Catalans living in different countries who have made it their job to track and review news reports about Catalonia in the international media. Our goal is to ensure that the world's public opinion gets a fair picture of the country's reality today and in history.

We aim to be recognized as a trustworthy source of information and ideas about Catalonia from a Catalan point of view.
[More info]

quadre Traductor


quadre Newsletter

If you wish to receive our headlines by email, please subscribe.

E-mail

 
legal terms
In accordance with Law 34/2002, dated 11 July, regarding information services and electronic commerce and Law 15/1999, dated 13 December, regarding the protection of personal data, we inform you that if you don’t wish to receive our newsletter anymore, you can unsubscribe from our database by filling out this form:









quadre Hosted by

      Xarxa Digital Catalana

Col·lectiu Emma - Explaining Catalonia